Melhores programas gratuitos de edição de vídeo

[clique no botão “legendas” para ver/ocultar as legendas. Ver em HD]

Melhores programas gratuitos de edição de vídeo (transcrição do vídeo)
Na corrente publicação vou referir aqueles que considero os melhores programas gratuitos de edição de vídeo disponíveis neste momento. As alternativas que mencionarei são todas livres e de código aberto e compatíveis com Linux, sendo que algumas delas possuem igualmente versões para outros sistemas operativos, como Mac  e Windows.
A minha selecção foi realizada tendo em conta uma utilização simples e avançada dos programas. Por isso, as alternativas que apresentarei serão precisamente divididas nesses dois níveis.
Em nota final sublinharei ainda brevemente outras possibilidades que têm o seu devido mérito mas que por um motivo ou outro não integram, pelo menos para já, a lista de programas gratuitos de edição de vídeo que recomendo para uso frequente.

Programas FOS profissionais de edição de vídeo: Kdenlive e Cinelerra
Como plataformas não-lineares de estrutura profissional de pós-produção de vídeo, a minha sugestão recai sobre o Kdenlive e o Cinelerra. O primeiro disponível para FreeBSD, Linux e Mac, e o segundo para GNU/Linux.
Tanto um como o outro oferecem uma óptima variedade de ferramentas mais ou menos complexas, e são capazes de produzir vídeo de excelente qualidade, sobretudo caso se esteja disposto a investir algum tempo para conhecer as suas extensas capacidades.
O resultado final dependerá da criatividade na edição e do desenvolvimento do projecto de acordo com as recomendações para uma utilização fluída e sem problemas. Por exemplo, trabalhando com o tipo de ficheiros que melhor partido tiram do programa.
O Kdenlive destaca-se pela interface mais moderna, intuitiva e bastante modular, compatibilidade nativa de formatos para edição e ferramentas adicionais como efeitos, transições e muito mais.
Já o Cinelerra possui uma interface esteticamente menos agradável mas personalizável até ao mais ínfimo detalhe. Com os ajustes certos facilmente se cria uma área de edição perfeita para qualquer projecto, uma inegável mais-valia que joga a seu favor, tal como as suas exaustivas opções de composição avançada de imagem.
Por outro lado, a aceitação nativa de formatos para edição é um limitada. No entanto, realizada a conversão prévia dos ficheiros de áudio e de vídeo, respectivamente para mp4 e mp3, a fluidez com que se trabalhará no programa compensará essa tarefa adicional.
Em estabilidade, o Kdenlive e o Cinelerra nada deixam a desejar. Guardando o projecto com frequência dificilmente se perderá mais do que uns segundos de trabalho caso algo aconteça.
Com as últimas versões estáveis de ambos os programas, não me recordo sequer de quando foi a última vez que se encerraram na sequência a erros.

Programas FOS para edição de vídeo intermédia
Se o que se procura é um programa gratuito de edição de vídeo mas não são necessárias ferramentas mais complexas, ou se trata dos primeiros passos neste género de trabalhos audiovisuais, então, sugiro o PiTiVi ou o OpenShot. Ambos estão apenas disponíveis para Linux mas este último será em breve lançado para Windows e Mac.
Os dois programas atingiram já uma maturidade e estabilidade interessantes (acabaram-se os encerramentos surgidos do nada), têm uma interface extremamente intuitiva, boas colecções de efeitos e transições, e os controlos imprescindíveis às funções para as quais foram concebidos.
Os utilizadores do Windows e iMovie não terão dificuldades em usufruir destes programas que além das semelhanças que com estes partilham oferecerem uma experiência de edição comparável.
A singularidade do PiTiVi reside na sua simplicidade, boa selecção de pré-definições de exportação e usabilidade. Porém, essa mesma simplicidade é barreira ao desenvolvimento de vídeos mais trabalhados.
O OpenShot beneficia aparentemente da mesma natureza essencial do PiTiVi mas na verdade é um programa com um imenso potencial. Actualmente já inclui compatibilidade directa com o Blender e o Inkscape, animação de texto 3D e outras funções mais avançadas como fotogramas-chave (keyframes), criação de máscaras e composição de camadas.
A meio caminho do PiTiVi e do OpenShot encontra-se o ShotCut, um programa algo mais avançado que o aquele primeiro mas não tanto quanto o segundo. É deveras estável, e de todos o único disponível tanto para GNU-Linux como Mac e Windows, bem como o que mais ímpar interface apresenta, eventualmente estranha à primeira vista. Todavia, muito dinâmica.
A simplicidade do ShotCut é também ela só aparente, pois explorando-se o programa, rapidamente se apercebe do seu potencial, o que, dado ser ainda um projecto recente mas desenvolvido a bom ritmo, deixa antever um futuro promissor.

Conclusão
No fundo, o PiTiVi é o ideal para edições simples sem grandes pretensões. Faz o seu trabalho. Nada mais. Nada menos.
O ShotCut é uma lufada de ar fresco, uma excelente escolha intermédia com grande potencial e vasta compatibilidade multi-plataforma.
O OpenShot oferece a mesma simplicidade do PiTiVi mas deixa espaço para se irem aprofundando os  conhecimentos de edição de vídeo até um certo nível sem que se entre na escala de complexidade do Kdenlive ou do Cinelerra.

Mais programas gratuitos de edição de vídeo
Os cinco programas gratuitos de edição de vídeo que acabo de mencionar, todos eles também livres e de código aberto, não são, porém, as únicas alternativas existentes.
O Blender inclui desde há algumas versões atrás, o seu editor de sequências de vídeo, o VSE,  perfeito para a edição de fotogramas, mas não tão útil como editor de vídeo.
Igualmente disponível para Linux, Windows e Mac, está o Avidemux, um editor linear de vídeo com funcionalidades de conversão audiovisual avançadas, no entanto, limitado nas funções de edição. Outros projectos open source a acompanhar são o LiVES, Flowblade, Lumiera (variante do Cinelerra) e o Novacut.
Por fim, gratuito mas não de código aberto, existe ainda o Lightworks (veja a minha análise do Lightworks 11.5) e os descontinuados Wax (Windows) e Kino (Linux).
Como se depreende por este vídeo existem hoje em dia bons programas gratuitos de edição de vídeo, sejam eles livres e de código aberto ou de proprietário, simples ou complexos, e para qualquer sistema operativo.
O GNU-Linux leva uma notória vantagem pela sua própria essência mas, como fui salientando, alguns projectos vêm igualmente apostando na portabilidade para Windows e Mac, e deverão, num futuro próximo, chegar a estas plataformas.

A sua opinião…
E você, qual é o seu editor de vídeo favorito?
Utiliza mais do que um programa? Faça o seu top, deixe-o nos comentários, e aproveite para sugerir ao que devo olhar num próximo vídeo.
Se esta publicação e vídeo lhe foram úteis sinta-se à vontade para os partilhar.

Créditos
Texto: transcrição do vídeo
Produção e legendas: Mário J.R. Matos
Música: Kevin MacLeod (Incompetech)
Informações técnicas – equipamento: microfone de lapela, gravador de áudio portátil, monitores LG (2×21′ e 1×17′) e estação de trabalho baseada na placa-mãe Asus P9X79 WS com o i7-3930k (EVGA Geforce GTX 680 Classified 4GB, 2×256 GB Corsair Performance Pro SSD, 3x3TB Seagate Constellation ES ST1000, 64GB G.Skill RipjawsZ F3 DDR3-2133) | Programas: Lightworks (11.5), Audacity, Ardour, GIMP, Vokoscreen, Aegisub, LibreOffice, gedit, Ubuntu (13.10)
Direitos de autor: o vídeo pode ser partilhado através das opções de partilha do YouTube; as imagens podem ser utilizadas desde que atribuída a autoria e colocada uma hiperligação para esta publicação; os mesmos termos de utilização das imagens se aplicam ao conteúdo textual